3 de dez de 2011

Nota de falecimento

Gostaria de comunicar o falecimento, para minha alegria, do pisca-pisca musical do mala do meu vizinho(a), pois é, ele partiu assim de repente, estava lá por volta das dez da noite, com sua música natalina rouca, quanto eu me refugiei no quanto para parar de escutá-lo, não sei a que horas ele partiu (para não deixar saudades), mais hoje quando acordei e pensei em sair do quarto e ser torturada por aquele OBJETO DO MAL, eis que eu escuto...nada...absolutamente nada. Pra minha alegria ele deve ter morrido, porque o (a) mala não deve te tido uma crise de consciência e pensado que estava incomodando todo o prédio.
Hoje voltei ao normal, meus ímpetos psicopatas homicidas foram-se com aquela música desafinada. Tinha tomado a decisão de começar a cometer atentados a fim de parar com aquela zuada dos infernos, droga, agora terei que guardar os coquetéis molotovs para outra oportunidade.
Para você pisca-pisca musical: “Volta pro mar oferenda” .

2 de dez de 2011

O Pisca-pisca e a psicopata que existe em mim

Acordei hoje por volta das nove da manhã, e quando cheguei na cozinha e por lá fiquei por algum tempo, comecei a sentir meus instintos psicóticos (de psicopata profissional), se é que isso existe, talvez tivesse virando lobiwoman também vai-se saber.
Senti as unhas crescerem, as presas ficarem mais afiadas e os pelos arrepiarem e crescerem (depilação again), comecei a ter uma vontade louca de invadir o apartamento de um vizinho e quebrar tudo e também o vizinho claro. E tudo isso por um pisca-pisca, isso mesmo, um daqueles infelizes, made in china, que não para de tocar aquela irritante musiquinha, com toque rouco de coisas compradas em lojas de 1,99.
Como hoje foi meu dia de pinicagem, então passei boa parte do dia entre a cozinha, área de serviço e banheiro (que tava precisando de um banho) e escutei esta música dos infernos %#@&?, durante todo o tempo e comecei a ficar totalmente desequilibrada.
Fala sério que é a criatura que deixa uma porcaria dessas tocando e tocando, comecei a pensar... calma vai quebrar, vai quebrar, eu sei que vai quebrar, estes troços quebram rápido, ledo engano, o troço é mais resistente do que eu pensava. Comecei a pensar quem seria o possuidor daquele objeto do mal, devorador de cérebros? Será que é a velhinha surda do sexto andar, se assim for tô ferrada, mina sanidade mental (que já é quase inexistente vai embora, a pobre velhinha mora sozinha e é surda, nem deve se tocar que possui um instrumento de tortura em casa, com aquela musiquinha rouca.
E o pior de tudo que aquelas notas musicais com toque totalmente eletrônico e pior que pagode, axé ou sertanejo universitário ela continua tocando na sua cabeça, nota após nota, mesmo quando não estou em um lugar do apartamento que não escuto.
A tarde foi passando e minha obsessão para saber que era aquele terrorista do pisca-pisca só foi aumentando, escutei alguém assoviando ao toque da música e era assovio de homem, chego a conclusão que só pode ser o dono, afinal já são seis da noite (já me lamentei pro marido que riu das minhas queixas) e ninguém no prédio, além do dono do infernal objeto, deve estar gostando dessa música.

Agora são mais de nove da noite, a música toca a mais de doze horas, já escuto o som da sala (uma vez que o barulho da rua diminuiu), já decidi vou fazer promessa para nossa senhora, vou dar uma de louca e vou sair espancando vizinhos ao acaso, qualquer coisa, só não agüento mais essa música, enquanto isso pra me consolar marido ri e diz, agüenta firme vai parar depois do ano novo. E eu... sinto que vou enlouquecer.

A odisséia da mulher multi-tarefas

Semana passada foi uma correria só, no final da minha odisséia, tava morta é minha casa uma zona. Segunda mandei um e-mail para minha amiga/comadre/irmã por adoção do coração. Vou postá-lo porque ele fala bem sobre como foi minha semana.  
Oi German,

Sei que estou com dívidas com vc, simplesmente sumi e não dei mais notícias e nem procurei mais saber como vc e Vínicius estão. Continuo amando vcs e que minha vida tá uma correria só, esses dias.
Tive a brilhante idéia de fazer um curso de fatores de virulência, semana passada, só que tem prova e seminário, e o material é todo em inglês, ai já viu sua amiga pirou!!!
Devido ao tempo que passei ai, atrasei tudo no inglês, tinha que fazer 2 provas de uma vez, adivinha quando? semana passada claro!
E tinha o seminário do laboratório para apresentar, quando? quinta, of course! consegui adiar esse pra terça (amanhã), só que a prova do curso é hj, ou seja... tô muito lascada. Pra terminar... o paper que vou apresentar amanhã é triste, ainda nem terminei de fazer a apresentação, levei uns 3 dias só pra entender uma parte dele, o cara faz umas construções de mutantes muito doidas, rsrsrsrsrs.
Devido a isso tudo, minha casa tá um nojo de suja (não limpei), estou passando quase fome (não fiz compras) a situação tá tão insustentável que não tem nem água na geladeira, quem dirá algo para comer. E eusinha tô uma mistura de mulher das cavernas (não fiz as unhas, nem sequer lavei o cabelo esse fim de semana) e de caranguejo gigante (preciso de uma depilação URGENTE!!).
Minha esperança é que amanhã tudo acabe, e minha vida comece a voltar ao normal, antes que o IBAMA venha me prender pensando que sou o elo perdido.
Bjus se tudo der certo te ligo amanhã!! vai fazer bolinho pra Vinícius??
 Amo vcs!
Danny.

Bom, terça feira passou e SOBREVIVI!!! Minha casa tá limpa e morável, minha geladeira abastecida e a higiene pessoal tá em dia (consegui voltar ao normal antes que o IBAMA me achasse).  Mas os dias de pinicagem para colocar tudo nos eixos formam um capítulo a parte. Sou apenas uma, meio lerda e desajeitada, mas as vezes tenho que fazer o papel de várias, como ser multi-tarefas, quem souber me avisa por favor, mas no final é como diz aquele velho ditado: “Não há mal que nunca acabe...”
Bjus.

20 de nov de 2011

Pernambuco, chute em pedra, comilança e farofagem no aeroporto.



          Depois de uma semana em foz, voltei pra casa passei uma semana, fiz um churrasco comemorativo (atrasado e muito) do mestrado e fui para Pernambuco. A viagem, um suplicio, webjet ninguém merece, avião com poltrona que não reclina e até um copo d’água por 5 reais, o sanduíche então, melhor não comentar, passar horas a fio no aeroporto de confins onde só tem uma lanchonete na sala de embarque (cara de doer), enfim, essa coisa de pobre de comprar a passagem aérea mais barata as vezes sai caro!
          Passei 17 dias em Vitória de Santo Antão, lá foi meio frustrante, pois, havia planos de dá um passeado com o marido, primeiro esses planos foram frustrados, o pai do marido tava com problemas de saúde, então, tínhamos que rever o tempo que poderíamos viajar, e pra completar chutei uma pedra (quando fazia uma semana que estávamos lá) e fiquei de molho por uma semana. Fala sério, quem sai de férias e acaba chutando uma pedra??? Não cheguei a quebrar o dedo dessa vez, mas como tinha quebrado 6 meses, ele saiu do lugar e ficou bem gordinho, rsrsrsrs, é rir pra não chorar. Essa parte me chateou e muito, até amargurei isso mesmo depois de voltar pro Rio, mas fazer o quê?? É como diz aquele velho “deitado”: “águas passadas... já passaram”.



           No mais, matei saudades de pessoas queridas, revi amigos, conversei e comi coisas que só como lá, iguarias nordestinas, e comi muito , muito... e muito, o que me obrigou a pelo menos “tentar” reatar firme com a dieta. A comida será um ou vários capítulos a parte, tirei fotos e falarei sobre algumas, que digamos são polêmicas, como minha amada buchada!!!!!
              Puxando pela memória posso citar que comi nesses 17 dias: buchada, galinha de capueira, carne de bode, miúdo de boi, sardinha de balde (carinhosamente conhecidas como sardinha fedida), graviola, cajá, tripinha de porco frita, testículos de boi fritos, bolo de barra branca, queijo de manteiga, farofa escaldada, um bom queijo coalho, bolo de rolo, cuscuz de massa de mandioca e o frango recheado e imperdível de minha avó e ainda bebi pitú cola.
                Enquanto estive lá a lista de coisas que juntei pra trazer pro Rio também foi grande, trouxe muita coisa em uma mala que foi levada vazia na intenção de trazê-la estufada, por isso, paguei 153 reais de excesso de bagagem, mas devo dizer que valeu a pena.
              Trouxe em minha humilde malinha: 11 pedaços de bolo de rolo (calma, foi pra dar, rsrsrsrs), bolo de barra branca, queijo coalho (do bom), queijo manteiga (do muito bom), queijo do reino (nem preciso falar), acerola (que lá é muito barato e aqui é bem caro), massa de mandioca,  fígado de alemão (pro marido), camarão seco de 2 tipos (pois é, existe mais de um tipo), filé de camarão seco, sururu seco, castanha torrada, castanha salgada, charque, cominho, 12 latas de pitu cola, 6 licores e pra fechar o pacote 1 panela de barro (lindaaa, pra fazer feijoada) e uma grela de mesa para carnes. Como deu pra perceber, sou “meio” muambeira, ou melhor, faço farofa no aeroporto, mas depois do excesso de bagagem prometi ao marido que sou uma muambeira regenerada, chega de “farofagem”, juro!!!! rsrsrsrs.
                Mas as férias acabaram e agora a vida dura voltou, a não ser que eu ganhe na mega-sena, rsrsrs, tô na torcida!!!!
                Quais são suas iguarias culínárias??
Bjus.    

13 de nov de 2011

CONGRESSO OU OPORTUNIDADE PARA ESTUDANTE POBRE PASSEAR


Entre os dias 2 e 6 de outubro houve, lá em Foz do Iguaçu, o Congresso Brasileiro de Microbiologia, eu vi nele a oportunidade de fazer contatos (muito importante no meio acadêmico) e visitar as cataratas do Iguaçu.
            O congresso foi caro (inscrição), mas valeu à pena, bem organizado, com boas palestras e consegui ver um dos grandes nomes da área em que trabalho, tirei fotos de longe, e assisti toda a palestra sem pestanejar. 
            Fui para Foz no dia 30 de setembro, junto com o marido para aproveitarmos o fim de semana (uma pequena lua de mel de um fim de semana). Posso dizer que adorei, as paisagens são lindas, as pessoas muito educadas, comida barata, vale muito apena. Agora, detestei Cidad Del Leste, achei as pessoas mal educadas, o lugar é sujo e muitos vendedores são tranbiqueiros.
            Passei maus-bucados no Paraguai, um vendedor de má fé tentou me enrolar tentando me passar um tablet que não atendia aos meus objetivos e queria me brigar a comprá-lo ou a um com o preço superior maior confusão. Por isso para quem for ao Paraguai fazer compras se concentre em grandes lojas como o shopping china, o shopping Del Lest e as lojas monalisa, é incrível a diferença no atendimento.
            Gostei da cidade de Porto Iguazú, as cataratas do lado argentino são lindas, o passeio pelo parque leva um dia e é magnífico. O custo é mais caro que no lado brasileiro, mas é um dinheiro muito bem gasto, e o free shop é um capítulo a parte.
            Foz do Iguaçu é uma cidade pequena mas agradável, as pessoas são educadas, hospedagem e comida com bom preço e muitas coisas pra fazer, as cataratas deslumbrantes. O macuco safári vale cada centavo e um passeio maravilhoso, onde se consegue chegar bem perto das quedas d’água de barco. Eu “tomei banho” dos dois lados (argentino é brasileiro) e posso dizer que aquela água lava sua alma e restaura as forças. Ainda há o parque das aves, o templo budista, boas churrascarias.
            Foz valeu e muito a pena em vários sentidos, acalmei o coração, vi outros aspectos acadêmicos durante o congresso, consegui um pouquinho de lazer com o marido e passeei, e essa parte devo confessar que adoro!! Se pudesse passaria a vida assim conhecendo lugares novos, conhecendo estórias, pessoas, lugares, comidas culturas, tenho uma ânsia pelo novo, por ver o que nunca vi, estar onde nunca estive, tocar, cheirar, provar...entender... isso é um prazer e muitas vezes um problema, pois projeto, planejo, preparo e quando não dá certo... sofro. Adorei a viagem, pensei que em seguida haveria outra, outro lugar pra conhecer, outro plano, outra paisagem, só que desta vez não deu certo, ainda estou frustrada, ainda chateada, mas isso é assunto para outro post.
            Foz parece ter sido meu único passeio no ano, o lugar valeu a pena, virei uma “foz iguaçuence”, rsrsrsrsrsrsrs!!! De coração.
            Como “foz iguaçuence” honorária fiquei felicíssima em saber que as cataratas do Iguaçu foram eleitas uma das sete novas maravilhas naturais do mundo! Nada mais justo! ao olhar toda aquela beleza a certeza de um Deus criador é irrefutável, vi a marca de suas mãos criadoras lá.  
            Fico devendo as fotos!!


11 de nov de 2011

É vida que segue

        
 Depois de tempos sumida, eu voltei!!! bem no clima da música de Roberto Carlos: "eu voltei, agora pra ficar..." fiquei uma semana em um congresso de microbiologia, passei uma semana em casa, fui a Pernambuco onde fiquei 17 dias e voltei para o Rio a uma semana e meia.
       Tirei folga, passiei, descansei, ferrei o dedinho do pé, tive raiva, não fui a praia (olha as amarguras ai!!!)... e agora... voltei para escrever o que fiz de bom, o que me deixou puta da vida e voltei para o laboratório, em fim, como diz o título do post: é vida que segue.
        Preciso fazer ainda alguns experimentos para poder publicar o paper da dissertação, vou fazer um projetinho a parte (paper extra), isso antes do doutorado, então agenda cheia.
       Mais tenho muita coisa atrasada para por aqui: falar de Foz do iguaçu (que adorei), falar da minha ida a Pernambuco e de todas as lembranças culinárias com direito a fotos e tudo, falar das "chaturas" que aconteceram e de minhas revoltas, enfim, repor o tempo perdido.
       Volto logo para por os assuntos em dia.
       Bjus.

       Para animar e acalmar os corações:

Ruas de Outono

Nas ruas de outono os meus passos vão ficar
E todo abandono que eu sentia vai passar
As folhas pelo chão que um dia o vento vai levar
Meus olhos só verão que tudo poderá mudar

Eu voltei por entre as flores da estrada
Pra dizer que sem você, não há mais nada
Quero ter você bem mais que perto
Com você eu sinto o céu aberto

Daria pra escrever um livro se eu fosse contar
Tudo que passei antes de te encontrar
Pego sua mão e peço pra me escutar
Seu olhar me diz que você quer me acompanhar

Eu voltei por entre as flores da estrada
Pra dizer que sem você, não há mais nada
Quero ter você bem mais que perto
Com você eu sinto o céu aberto

Quero ter você bem mais que perto
Com você eu sinto o céu aberto...
(Ana Carolina e Antônio Villeroy)



      

10 de out de 2011

House



        Tenho que confessar: adoro TV.  Gostaria de ser aquelas pessoas que não estão nem ai para a televisão, mais a verdade é sou viciada em TV, chego em casa e ligo o aparelho, é automático, as vezes nem olho pra ela, mais ela ta lá, fazendo “zuada”.
        Não gosto de novelas, não sei o nome de nenhuma, não sei o nome dos atores dos personagens de nada! Isso faz com que as pessoas me olhem estranho em certos lugares onde se conversa apenas trivialidades (salão de beleza). Odeio de todo o coração BBB, a fazenda e a fins. Porém, sou louca por séries de TV, vejo várias, a maioria são sitcoms, mas a minha favorita é “House”.
        Conheci House antes de ter Tv fechada, assistia os episódios transmitidos pela Record, posso dizer que foi amor ao primeiro episódio. É incrível como um personagem viciado, mal-humorado (ao extremo), amoral, que acredita que todos mentem e dotado de um humor ácido e controverso possa ser tão carismático. O mérito cabe ao fantástico ator Hugh Laurie (o Dr. Gregory House) e aos roteiristas da série que fazem com que as pessoas amem odiar House e ainda se identifiquem com ele. House é tão visceral, tão autêntico e tão humano com uma carga dramática incrível que é impossível não sentir empatia por ele.
        Devo confessar que as minhas temporadas preferidas são as 3 primeiras temporadas, quando House era mais amargo e apático ao mundo, mais não consegui não gostar das outras. Em minha opinião a quinta temporada foi a mais irregular, com episódios maravilhosos e outros insossos. O início da sétima temporada foi ótimo, só não gostei do relacionamento de House com Caddy (Lisa Edelstein) acho que ele ficou mais sentimental a amargura e acidez minguou um tiquinho, até tentar consegui uma vaga na escola pra filha de Caddy ele tenta, Ok, de uma maneira nada ortodoxia mais ele tentou, dá um crédito, né! Mais no final o relacionamento foi por água abaixo, hehehehehe, fã é um bicho ciumento, e a série voltou aos bons tempos.
        A oitava temporada (que está sendo anunciada como a última, para meu completo desespero), estreou nos Estados Unidos dia 3 de outubro e House começou a temporada preso, eu tô que não me agüento de ansiedade, louquinha pra ver o que vai rolar e pedindo aos céus que House continue por muitas temporadas! Vale muito apena conferir!   

28 de set de 2011

Fotos do mestrado e carinho

          Já falei (bastante) sobre meu mestrado, mas não comentei que a(o)s querida(o)s  amiga(o)s de laboratório fizeram uma linda festa para mim. Na verdade, montaram um lindo jardim dentro do laboratório. Devo dizer que me senti especial e amada!!

A apresentação e a defesa:



O recebimento do grau:


A festa:


Bjus!!!

Rock in Rio, Capital Inicial

Nem cheguei a me animar para ir pro rock in rio, pra dizer a verdade não sou muito chegada à música internacional sorry pelo sacrilégio, salvo algumas exceções. Então eu iria muito mais por banda nacionais que poderei ver em outras oportunidades, no local com um  menor número de pessoas, mais confortável, sem tanta gente suada... já sei, momento frescura de mulherzinha ON.
                Devo confessar que me maldisse por não ter ido ao Rock in Rio no dia sábado (não ia dar mesmo, tinha outro compromisso, snif...snif...) para ver Dinho Ouro Preto, do Capital Inicial, oferecer a música “Que pais é esse” (do magnífico Renato Russo) ao senador José Sarney, momento impagável e acredito eu que será o melhor de todo o evento.
                Não precisa falar muito sobre o senador, basta olhar mais de perto pro Maranhão e tudo fica muito claro.  Dinho protestou contra uma liminar que impede o Jornal Folha de São Paulo divulgar dados da operação boi barrica e dados referentes a Fernando Sarney (filho do senador).
                A operação boi barrica investiga parentes do presidente do senado, devido a transações financeiras de alto valor feita pelos mesmos. Porém, esta operação teve provas anuladas devido à decisão de que as quebras de sigilo bancário, telefônico e fiscal não foram legais. Mas que a quebra dos cofres públicos é legal,então!!!!    
                Voltando ao Rock in Rio, Dinho disse o seguinte antes de iniciar a música: "oligarquias que parecem ainda governar o Brasil" e a políticos. "(Oligarquias) que conseguem deixar os grandes jornais brasileiros censurados durante dois anos, como O Estado de S. Paulo, cara. Coisas inacreditáveis". Plac, plac, plac...
                Só o que me deixa triste é ter cada vez mais consciência que Joseph De Maistre  estava certo quando declarou: “cada povo tem o governo que merece”.

23 de set de 2011

Munguzá - comida para aquecer o coração.

Não é segredo para ninguém que eu adoro comer, por isso minha eterna briga com a balança, depois que vim morar no Rio encontrei outra categoria de comida, as que aquecem o coração. Deixa-me explicar, há comidas que sempre fizeram parte do meu dia-a-dia, basiquinhas lá no nordeste, mas aqui no Rio (e pelo que sei em quase todo o sudeste) são difíceis de encontrar ou (quase) desconhecidas. Essas comidas tornaram-se referência para mim! Vou falar sempre delas por aqui.
Hoje, essa categoria de comida são aquelas que aquecem meu coração, que me trazem lembranças da infância, que me fazem sentir saudades da terrinha. É delas que ligo reclamando pra minha mãe, por não encontrar ou por serem bem mais caras aqui, modo de pirangagem ON. São elas que minha mãe prepara pra mim quando vou pra Pernambuco ou manda quando alguém vem pra cá. Sobre trazer comida isso merece um post, depois falo mais!
Essa semana me deu vontade de fazer algo pra forrar o estômago, acalmar a alma e aquecer o coração e resolvi fazer munguzá. Aqui no sudeste, eles chamam de canjica, pra os nordestinos canjica é outra coisa, mas tudo bem!. Queria fazer o munguzá com milho amarelo, o que é mais comum, pelo menos em minha cidade natal, mas não encontrei, e juro que procurei muito, então coloquei a cor do milho de lado (afinal não sejamos preconceituosos com os milhos, pela inclusão do milho branco em minha casa!) e fui fazer meu munguzá branco.
Devo dizer que meu munguzá e bastante apreciado aqui no prédio, modo pabulosa ON. Meu munguzá faz sucesso com a neta, o genro e a nora da vizinha, com o sindico e até com o encanador (bombeiro) que faz os consertos do prédio, até marido que não gosta muito de munguzá já se rendeu e quando eu faço fica numa alegria só. Como meu potinho de humildade secou e ainda não encontrei outro pra comprar, posso dizer que ainda não encontrei ninguém que não gostasse.
Agora desligando o modo pabulagem (off), vamos voltar pra o que interessa: o munguzá. Acho que a diferença do daqui pra o do nordeste, além do milho branco, é o leite de coco, aqui ouvi algumas pessoas dizerem que colocam leite de vaca, já os nordestinos costumam colocar leite de coco, que diga-se de passagem tem todo o seu valor e dá todo o tcham. Então fica a dica leite de coco no munguzá/canjica.

Com vocês: meu munguzá... tcham, tcham, tcham, tcham....  


O que aquece o seu coração?

BJUS.

É primavera

Hoje começa a primavera, gosto desses dias, o sol continua ainda fresquinho espero e tem as flores, há, as flores! Só uma coisa começa a apertar em meu coração, o verão se aproxima, com seu calor, seu sol, seu abafado. Já deu pra perceber que não gosto muito do verão, né?
Sou uma pernambucana morando no Rio, em uma eterna paquera com a cidade, porém a cidade se torna desconfortável no verão (para mim), com aquele “calorão”. Porém, sou voto vencido aqui, cariocas são solares, adoram o verão. Como diria aquela música: "...Cariocas não gostam de dias nublados...”.
Agora voltando ao título do post, gostaria de desejar a todos que a primavera aconteça também no coração de vocês.

É PRIMAVERA ... POR ISSO... TENHO VIOLETAS NA JANELA!!!!!









21 de set de 2011

Se avexe não


A mais de um ano atrás, antes mesmo de começar a peleja de escrever a dissertação, já tinha escolhido uma música para colocar “nos elementos pré-textuais. Meu marido disse que era algo muito informal para colocar na dissertação, eu não liguei, eu queria e iria colocá-la. Depois da dissertação pronta, todos que a pegaram sempre elogiaram a música/poema, um membro da banca disse que iria imprimir a música e colocar em seu laboratório.
Bom, a escolha da música ocorreu por eu querer algo que lembrasse de onde eu venho, nada melhor do que um legítimo forró pé-de-serra para me lembrar Pernambuco. Forró, sim senhor! mas daqueles gostosos, que se dança com dois pra lá dois pra cá. Nada de forró eletrônico, com mulheres de pouca roupa se sacudindo feito cobra, nem de gritinhos e dizendo que você não vale nada mais eu gosto de você.
Quando escuto esta música e fecho os olhos minhas lembranças afetivas afloram, sou levada há dias leves e maravilhosos. Posso ver as fogueiras na frente das portas, sempre alinhadas com a porta de entrada, consigo sentir no ar a animação da festa de São João. Posso ver minha vó, mãe e tias, todas, ralando milho para fazer pamonha canjica, milho cozido (que vovó deixa a noite toda no fogão de lenha), bolo de milho e tudo mais que a festa pede. Às seis da tarde é hora de acender as fogueiras, hora dos fogos, consigo sentir o cheiro da comida cozinhando e o calor da fogueira, o som do forró o cheiro do milho assado. Era essa sensação de lembranças ternas, de felicidade que quis colocar em minha dissertação, por isso a escolha da música.
Mas essa música me trouxe mais do que sensações, ela trouxe lições. Uma letra linda e singela que ensina que tudo tem sua hora e que tudo é fruto do seu esforço. O engraçado disso tudo é que eu não sabia o quão verdade isso seria na minha vida, exatamente durante a preparação da dissertação. Eu pretendia defender minha dissertação em julho, tive problemas com a escrita, chorei me descabelei, entreguei a Deus e pedi auxilio a Nossa Senhora, cantei essa música como um mantra de meditação. Por fim, o dia da defesa chegou e deu tudo certo. Hoje, essa música me diz muito mais do que me dizia quando a escolhi, me trás muito mais lembranças e toca ainda mais meu coração.
Espero que sirva de lição de viva, de alegria e de esperança para outr@ assim como serviu pra mim!

A NATUREZA DAS COISAS
Se avexe não
Amanhã pode acontecer tudo
Inclusive nada
Se avexe não
A lagarta rasteja até o dia
Em que cria asas
Se avexe não
Que a burrinha da felicidade
Nunca se atrasa
Se avexe não
Amanhã ela pára na porta
Da sua casa
Se avexe não
Toda caminhada começa
No primeiro passo
A natureza não tem pressa
Seu compasso
Inexorávelmente chega lá
Se avexe não
Observe quem vai subindo a ladeir
Seja princesa ou seja lavadeira
Pra ir mais alto vai ter que suar.
                                          (Aciole neto)

Bjus

20 de set de 2011

Resoluções de ano novo


Pra mim o ano novo começou! Não, não é que 2012 começou mais cedo, é que 2011 apareceu pra mim agora. Passei por esses nove meses de 2011 batida, nem senti, apenas entrava em pânico quando via os meses indo... e eu... Correndo contra o tempo.

É engraçado, quando estamos envolvidos em um grande projeto, a passagem do tempo é totalmente alheia ao calendário. Você comemora as datas como todo mundo, mas algo te prende e as pendências não deixam você viver o presente. Hoje, saldei minhas dividas, sinto como se um elefante tivesse saído das minhas costas e o ano novo começou, desta forma, tenho várias resoluções de ano novo:
       
   DIETA, sei que essa é batida, 9 entre 10 mulheres tem essa resolução encabeçando a lista, eu queria perder uns 2 quilinhos, porém, meti os dois pés na jaca nestes dias de ansiedade, a culpa é sempre da ansiedade eu não sou gulosa sou quase um faquir, mentira danada, resultado... 1,5 quilos a mais... agora, tenho que perder pelo menos 3,5 quilos. VIVA A SALADA!!! Porque essa gordura irá sair desse corpo, SAI QUE ESSE CORPO NÃO TE PERTENCE!!

EXERCÍCIOS, eu corro uma vez por semana, mas não sou nenhuma atleta, quero ter uma vida mais saudável, vai ajudar a emagrecer , hehehe, não sei o que fazer, gostava de luta mas parei; não sei nadar, será que seria uma boa hora pra aprender? O meu grande problema é que não gosto de academias. Já tentei, mais sou estabanada, gulosa por natureza e odeio suar. Ai, chego à academia encontro aquelas mulheres frescas, falando apenas de dieta e de como sobrevivem consumindo o total de calorias de um copo de coca zero por dia (ou seja, zero!!), me sinto um peixe fora d’água, ou melhor uma baleia fora d'água. Na última vez que tentei ir à academia... Desastre total... me matava no spinnig e nada, a gota d’água foi uma conversa que escutei antes de uma aula de spinnig, duas mulheres super secas estavam conversando, uma olha pra outra é diz: não conseguir, estava com muita fome ontem, comi uma barra de cereal e depois ainda jantei UMA BANANA (alÔÔô, ela JANTOU uma banana) e a outra retrucou cheia de razão: assim não dá amigaaa, ou a barra de cereal ou a banana, TEM QUE ESCOLHER (COMO ASSIM???). Agora pergunto como eu fico?? Sou uma mulher real! Com fome real! Gosto de comida com SUSTÂNCIA, fiquei chocada, comecei a me sentir a “Free Willy” (mesmo sem saber nada), e acabei desistindo.


     ECONOMIA, modo confissão ON: sou gastadeira, gasto com besteiras, coisas que não uso, tem roupas novas que me esqueci e utensílios de cozinhas que não uso, modo confissão OFF. Vou economizar guardar parte (1/3) dos meus rendimentos na poupança e pretendo uma fazer uma viagem legal . Vou virar uma PIRANGUEIRA!!


    ORGANIZAÇÃO, não sou muito organizada em relação a datas, empurro as coisas com a barriga, típica brasileira... aos 45 do segundo tempo é muito melhor, sai com mais qualidade e ainda tem emoção. Não quero ser mais assim! Sofro um bucado por conta disso, organização serás o meu nome!  

Bom, espero conseguir cumprir todas as minhas promessas de ano novo!

 FELIZ ANO NOVO PRA TODOS!!
Bjus.

16 de set de 2011

Parabéns mainha!!!


Há alguns anos atrás, melhor não precisar datas, nascia uma guerreira, uma criança traquina que se transformou numa mulher memorável, essa mulher ... minha mãe.
Minha mãe passou por situações difíceis durante a vida o que a tornou forte, mas sem perder a doçura. Mulher de opinião formada, de cabeça feita, de coração que transborda de amor pela família.
Minha mãe sempre enfrentou a vida, nunca foi vítima das circunstâncias, nunca se fez fraca sempre exemplo de fortaleza, de mulher... de mãe.
Mainha, tenho a senhora como escola, como exemplo e como estrada. Desejo toda a felicidade e paz que há no mundo! Pois, o resto, como batalhadora que a senhora é, sei que vai buscar e conquista.
A senhora meu coração e todo o amor que há nele.
Amo-te.


15 de set de 2011

Mestre, eu ?!?!

Entrei na Universidade em 2003 com um propósito na cabeça, seria cientista, faria ciência, trabalharia na universidade. Eu sabia que teria que me graduar, fazer mestrado e doutorado, fazer um concurso, e então, fazer ciência. Um trajeto linear estava traçado em minha cabeça, bastava apenas ligar os pontos: 4 anos de graduação (mais um ano nos somatórios das greves), 2 de mestrado e 4 de doutorado, no fim deste 10 – 11 anos eu seria a profissional que queria ser (não falaremos de pós-doutorado, ok!).

Porém, esqueci que a vida não é tão linear, pouco depois de me formar, casei, vim pro Rio de Janeiro (devido ao trabalho do marido), passei quase um ano sem fazer nada, esperando algumas definições. Depois deste tempo, procurei a UFRJ, voltei ao convívio com o mundo que sempre sonhei pra mim. Passei um tempo no laboratório, assim a professora que me aceitou conheceria meu trabalho, assim fiquei por uns 8 meses, sem ser vinculada a universidade. Após este período, me submeti a prova de mestrado e entrei (2009.2). Passei por problemas, durante os experimentos, durante a fase de redigir a dissertação, nestes 2 anos chorei muitas vezes, pensei em entregar os pontos...em desistir... Outras tantas vezes me lamentei, e muito, por não ter um emprego, não ter estabilidade, por ganhar uma bolsa com data marcada para acabar e por não poder contribuir com as despesas (devo dizer aqui que sempre fui acalmada e incentivada pelo maridão – um amor!!!). Ontem, depois de tantos altos e baixos, de sentir prazer por estar indo buscar meus sonhos e frustrações pela minha trajetória não linear (como imaginei) e por tantas outras coisas, Apresentei meu trabalho, fui argüida e no final recebi o veredito, fui APROVADA com unanimidade conceito A. Ontem acordei como sempre, fui dormir MESTRE.
O que mudou depois de ontem? Bem... continuo dependendo financeiramente do marido (a bolsa acabou), continuo desempregada, minha trajetória linear já foi faz tempo (deveria estar no meio do doutorado pelo menos) e ainda falta muito para que eu consiga alcançar meus sonhos... então, nada mudou??? Mudou SIM... até uns dias atrás estava desanimada, triste, me perguntando se as minhas escolhas valerão a pena algum dia, hoje, recobrei a energia, sinto que um dia poderei chegar no lugar que sempre desejei.
O próximo passo será o doutorado, espero conseguir iniciá-lo e concluir o mais rápido possível, assim poderei começar com os concursos, parte mais tensa do processo. Os concursos para professores de universidade são muito concorridos, difíceis e normalmente há apenas uma única vaga, é uma verdadeira maratona, às vezes, uma semana inteira com prova escrita, prova de aula, defesa de memorial, defesa de projeto para no final apenas um candidato ficar com a vaga, como diria minha irmã... TENSO!
Sei que muitas vezes ainda me abaterei, ficarei triste, chorarei, me perguntarei se é realmente isso o quê quero, mais por ontem, pela sensação gostosa e preguiçosa (porque hoje eu mereço ter a preguiça como companheira) que me acompanhou durante todo o dia, sei que é isso, que não quero outra vida, é essa a vida que escolhi pra mim.
Passarei por incertezas, também sou filha de Deus, e além do mais é difícil viver de bolsa, por vários motivos: tem data certa pra acabar, não tem licença maternidade, férias, décimo terceiro nem aposentadoria, quando acaba até conseguir outra é um suplicio, ainda bem que posso contar com o maridocínio. Mas só me preocuparei com tudo isso amanhã. Por hoje apenas aproveitarei a sensação e de sonho se realizando.
Bjus!!!

 

9 de set de 2011

Ronaldinho na bienal

Vi uma notícia no mínimo curiosa.

Segundo o site da IG Ronaldinho gaucho levou "multidão" a bienal do livro aqui no Rio, nada contra... mas... A presença dele deveria causar todo esse alvoroço em um local que celebra a leitura e escritores? desde quando ele é escritor mesmo?
Marido vive dizendo que ele é um dos melhores jogadores de futebol, OK! Mais a bienal e do livro ou do esporte?
Alguém pode rebater: ele tava autografando o álbum de figurinhas. Álbum de figurinhas =a livro?!?!, jogador que aparece no álbum = a escritor?!?!.
 Sou eu... ou...  as coisas andam meio confusas???