3 de dez de 2011

Nota de falecimento

Gostaria de comunicar o falecimento, para minha alegria, do pisca-pisca musical do mala do meu vizinho(a), pois é, ele partiu assim de repente, estava lá por volta das dez da noite, com sua música natalina rouca, quanto eu me refugiei no quanto para parar de escutá-lo, não sei a que horas ele partiu (para não deixar saudades), mais hoje quando acordei e pensei em sair do quarto e ser torturada por aquele OBJETO DO MAL, eis que eu escuto...nada...absolutamente nada. Pra minha alegria ele deve ter morrido, porque o (a) mala não deve te tido uma crise de consciência e pensado que estava incomodando todo o prédio.
Hoje voltei ao normal, meus ímpetos psicopatas homicidas foram-se com aquela música desafinada. Tinha tomado a decisão de começar a cometer atentados a fim de parar com aquela zuada dos infernos, droga, agora terei que guardar os coquetéis molotovs para outra oportunidade.
Para você pisca-pisca musical: “Volta pro mar oferenda” .

2 de dez de 2011

O Pisca-pisca e a psicopata que existe em mim

Acordei hoje por volta das nove da manhã, e quando cheguei na cozinha e por lá fiquei por algum tempo, comecei a sentir meus instintos psicóticos (de psicopata profissional), se é que isso existe, talvez tivesse virando lobiwoman também vai-se saber.
Senti as unhas crescerem, as presas ficarem mais afiadas e os pelos arrepiarem e crescerem (depilação again), comecei a ter uma vontade louca de invadir o apartamento de um vizinho e quebrar tudo e também o vizinho claro. E tudo isso por um pisca-pisca, isso mesmo, um daqueles infelizes, made in china, que não para de tocar aquela irritante musiquinha, com toque rouco de coisas compradas em lojas de 1,99.
Como hoje foi meu dia de pinicagem, então passei boa parte do dia entre a cozinha, área de serviço e banheiro (que tava precisando de um banho) e escutei esta música dos infernos %#@&?, durante todo o tempo e comecei a ficar totalmente desequilibrada.
Fala sério que é a criatura que deixa uma porcaria dessas tocando e tocando, comecei a pensar... calma vai quebrar, vai quebrar, eu sei que vai quebrar, estes troços quebram rápido, ledo engano, o troço é mais resistente do que eu pensava. Comecei a pensar quem seria o possuidor daquele objeto do mal, devorador de cérebros? Será que é a velhinha surda do sexto andar, se assim for tô ferrada, mina sanidade mental (que já é quase inexistente vai embora, a pobre velhinha mora sozinha e é surda, nem deve se tocar que possui um instrumento de tortura em casa, com aquela musiquinha rouca.
E o pior de tudo que aquelas notas musicais com toque totalmente eletrônico e pior que pagode, axé ou sertanejo universitário ela continua tocando na sua cabeça, nota após nota, mesmo quando não estou em um lugar do apartamento que não escuto.
A tarde foi passando e minha obsessão para saber que era aquele terrorista do pisca-pisca só foi aumentando, escutei alguém assoviando ao toque da música e era assovio de homem, chego a conclusão que só pode ser o dono, afinal já são seis da noite (já me lamentei pro marido que riu das minhas queixas) e ninguém no prédio, além do dono do infernal objeto, deve estar gostando dessa música.

Agora são mais de nove da noite, a música toca a mais de doze horas, já escuto o som da sala (uma vez que o barulho da rua diminuiu), já decidi vou fazer promessa para nossa senhora, vou dar uma de louca e vou sair espancando vizinhos ao acaso, qualquer coisa, só não agüento mais essa música, enquanto isso pra me consolar marido ri e diz, agüenta firme vai parar depois do ano novo. E eu... sinto que vou enlouquecer.

A odisséia da mulher multi-tarefas

Semana passada foi uma correria só, no final da minha odisséia, tava morta é minha casa uma zona. Segunda mandei um e-mail para minha amiga/comadre/irmã por adoção do coração. Vou postá-lo porque ele fala bem sobre como foi minha semana.  
Oi German,

Sei que estou com dívidas com vc, simplesmente sumi e não dei mais notícias e nem procurei mais saber como vc e Vínicius estão. Continuo amando vcs e que minha vida tá uma correria só, esses dias.
Tive a brilhante idéia de fazer um curso de fatores de virulência, semana passada, só que tem prova e seminário, e o material é todo em inglês, ai já viu sua amiga pirou!!!
Devido ao tempo que passei ai, atrasei tudo no inglês, tinha que fazer 2 provas de uma vez, adivinha quando? semana passada claro!
E tinha o seminário do laboratório para apresentar, quando? quinta, of course! consegui adiar esse pra terça (amanhã), só que a prova do curso é hj, ou seja... tô muito lascada. Pra terminar... o paper que vou apresentar amanhã é triste, ainda nem terminei de fazer a apresentação, levei uns 3 dias só pra entender uma parte dele, o cara faz umas construções de mutantes muito doidas, rsrsrsrsrs.
Devido a isso tudo, minha casa tá um nojo de suja (não limpei), estou passando quase fome (não fiz compras) a situação tá tão insustentável que não tem nem água na geladeira, quem dirá algo para comer. E eusinha tô uma mistura de mulher das cavernas (não fiz as unhas, nem sequer lavei o cabelo esse fim de semana) e de caranguejo gigante (preciso de uma depilação URGENTE!!).
Minha esperança é que amanhã tudo acabe, e minha vida comece a voltar ao normal, antes que o IBAMA venha me prender pensando que sou o elo perdido.
Bjus se tudo der certo te ligo amanhã!! vai fazer bolinho pra Vinícius??
 Amo vcs!
Danny.

Bom, terça feira passou e SOBREVIVI!!! Minha casa tá limpa e morável, minha geladeira abastecida e a higiene pessoal tá em dia (consegui voltar ao normal antes que o IBAMA me achasse).  Mas os dias de pinicagem para colocar tudo nos eixos formam um capítulo a parte. Sou apenas uma, meio lerda e desajeitada, mas as vezes tenho que fazer o papel de várias, como ser multi-tarefas, quem souber me avisa por favor, mas no final é como diz aquele velho ditado: “Não há mal que nunca acabe...”
Bjus.