20 de nov de 2011

Pernambuco, chute em pedra, comilança e farofagem no aeroporto.



          Depois de uma semana em foz, voltei pra casa passei uma semana, fiz um churrasco comemorativo (atrasado e muito) do mestrado e fui para Pernambuco. A viagem, um suplicio, webjet ninguém merece, avião com poltrona que não reclina e até um copo d’água por 5 reais, o sanduíche então, melhor não comentar, passar horas a fio no aeroporto de confins onde só tem uma lanchonete na sala de embarque (cara de doer), enfim, essa coisa de pobre de comprar a passagem aérea mais barata as vezes sai caro!
          Passei 17 dias em Vitória de Santo Antão, lá foi meio frustrante, pois, havia planos de dá um passeado com o marido, primeiro esses planos foram frustrados, o pai do marido tava com problemas de saúde, então, tínhamos que rever o tempo que poderíamos viajar, e pra completar chutei uma pedra (quando fazia uma semana que estávamos lá) e fiquei de molho por uma semana. Fala sério, quem sai de férias e acaba chutando uma pedra??? Não cheguei a quebrar o dedo dessa vez, mas como tinha quebrado 6 meses, ele saiu do lugar e ficou bem gordinho, rsrsrsrs, é rir pra não chorar. Essa parte me chateou e muito, até amargurei isso mesmo depois de voltar pro Rio, mas fazer o quê?? É como diz aquele velho “deitado”: “águas passadas... já passaram”.



           No mais, matei saudades de pessoas queridas, revi amigos, conversei e comi coisas que só como lá, iguarias nordestinas, e comi muito , muito... e muito, o que me obrigou a pelo menos “tentar” reatar firme com a dieta. A comida será um ou vários capítulos a parte, tirei fotos e falarei sobre algumas, que digamos são polêmicas, como minha amada buchada!!!!!
              Puxando pela memória posso citar que comi nesses 17 dias: buchada, galinha de capueira, carne de bode, miúdo de boi, sardinha de balde (carinhosamente conhecidas como sardinha fedida), graviola, cajá, tripinha de porco frita, testículos de boi fritos, bolo de barra branca, queijo de manteiga, farofa escaldada, um bom queijo coalho, bolo de rolo, cuscuz de massa de mandioca e o frango recheado e imperdível de minha avó e ainda bebi pitú cola.
                Enquanto estive lá a lista de coisas que juntei pra trazer pro Rio também foi grande, trouxe muita coisa em uma mala que foi levada vazia na intenção de trazê-la estufada, por isso, paguei 153 reais de excesso de bagagem, mas devo dizer que valeu a pena.
              Trouxe em minha humilde malinha: 11 pedaços de bolo de rolo (calma, foi pra dar, rsrsrsrs), bolo de barra branca, queijo coalho (do bom), queijo manteiga (do muito bom), queijo do reino (nem preciso falar), acerola (que lá é muito barato e aqui é bem caro), massa de mandioca,  fígado de alemão (pro marido), camarão seco de 2 tipos (pois é, existe mais de um tipo), filé de camarão seco, sururu seco, castanha torrada, castanha salgada, charque, cominho, 12 latas de pitu cola, 6 licores e pra fechar o pacote 1 panela de barro (lindaaa, pra fazer feijoada) e uma grela de mesa para carnes. Como deu pra perceber, sou “meio” muambeira, ou melhor, faço farofa no aeroporto, mas depois do excesso de bagagem prometi ao marido que sou uma muambeira regenerada, chega de “farofagem”, juro!!!! rsrsrsrs.
                Mas as férias acabaram e agora a vida dura voltou, a não ser que eu ganhe na mega-sena, rsrsrs, tô na torcida!!!!
                Quais são suas iguarias culínárias??
Bjus.    

13 de nov de 2011

CONGRESSO OU OPORTUNIDADE PARA ESTUDANTE POBRE PASSEAR


Entre os dias 2 e 6 de outubro houve, lá em Foz do Iguaçu, o Congresso Brasileiro de Microbiologia, eu vi nele a oportunidade de fazer contatos (muito importante no meio acadêmico) e visitar as cataratas do Iguaçu.
            O congresso foi caro (inscrição), mas valeu à pena, bem organizado, com boas palestras e consegui ver um dos grandes nomes da área em que trabalho, tirei fotos de longe, e assisti toda a palestra sem pestanejar. 
            Fui para Foz no dia 30 de setembro, junto com o marido para aproveitarmos o fim de semana (uma pequena lua de mel de um fim de semana). Posso dizer que adorei, as paisagens são lindas, as pessoas muito educadas, comida barata, vale muito apena. Agora, detestei Cidad Del Leste, achei as pessoas mal educadas, o lugar é sujo e muitos vendedores são tranbiqueiros.
            Passei maus-bucados no Paraguai, um vendedor de má fé tentou me enrolar tentando me passar um tablet que não atendia aos meus objetivos e queria me brigar a comprá-lo ou a um com o preço superior maior confusão. Por isso para quem for ao Paraguai fazer compras se concentre em grandes lojas como o shopping china, o shopping Del Lest e as lojas monalisa, é incrível a diferença no atendimento.
            Gostei da cidade de Porto Iguazú, as cataratas do lado argentino são lindas, o passeio pelo parque leva um dia e é magnífico. O custo é mais caro que no lado brasileiro, mas é um dinheiro muito bem gasto, e o free shop é um capítulo a parte.
            Foz do Iguaçu é uma cidade pequena mas agradável, as pessoas são educadas, hospedagem e comida com bom preço e muitas coisas pra fazer, as cataratas deslumbrantes. O macuco safári vale cada centavo e um passeio maravilhoso, onde se consegue chegar bem perto das quedas d’água de barco. Eu “tomei banho” dos dois lados (argentino é brasileiro) e posso dizer que aquela água lava sua alma e restaura as forças. Ainda há o parque das aves, o templo budista, boas churrascarias.
            Foz valeu e muito a pena em vários sentidos, acalmei o coração, vi outros aspectos acadêmicos durante o congresso, consegui um pouquinho de lazer com o marido e passeei, e essa parte devo confessar que adoro!! Se pudesse passaria a vida assim conhecendo lugares novos, conhecendo estórias, pessoas, lugares, comidas culturas, tenho uma ânsia pelo novo, por ver o que nunca vi, estar onde nunca estive, tocar, cheirar, provar...entender... isso é um prazer e muitas vezes um problema, pois projeto, planejo, preparo e quando não dá certo... sofro. Adorei a viagem, pensei que em seguida haveria outra, outro lugar pra conhecer, outro plano, outra paisagem, só que desta vez não deu certo, ainda estou frustrada, ainda chateada, mas isso é assunto para outro post.
            Foz parece ter sido meu único passeio no ano, o lugar valeu a pena, virei uma “foz iguaçuence”, rsrsrsrsrsrsrs!!! De coração.
            Como “foz iguaçuence” honorária fiquei felicíssima em saber que as cataratas do Iguaçu foram eleitas uma das sete novas maravilhas naturais do mundo! Nada mais justo! ao olhar toda aquela beleza a certeza de um Deus criador é irrefutável, vi a marca de suas mãos criadoras lá.  
            Fico devendo as fotos!!


11 de nov de 2011

É vida que segue

        
 Depois de tempos sumida, eu voltei!!! bem no clima da música de Roberto Carlos: "eu voltei, agora pra ficar..." fiquei uma semana em um congresso de microbiologia, passei uma semana em casa, fui a Pernambuco onde fiquei 17 dias e voltei para o Rio a uma semana e meia.
       Tirei folga, passiei, descansei, ferrei o dedinho do pé, tive raiva, não fui a praia (olha as amarguras ai!!!)... e agora... voltei para escrever o que fiz de bom, o que me deixou puta da vida e voltei para o laboratório, em fim, como diz o título do post: é vida que segue.
        Preciso fazer ainda alguns experimentos para poder publicar o paper da dissertação, vou fazer um projetinho a parte (paper extra), isso antes do doutorado, então agenda cheia.
       Mais tenho muita coisa atrasada para por aqui: falar de Foz do iguaçu (que adorei), falar da minha ida a Pernambuco e de todas as lembranças culinárias com direito a fotos e tudo, falar das "chaturas" que aconteceram e de minhas revoltas, enfim, repor o tempo perdido.
       Volto logo para por os assuntos em dia.
       Bjus.

       Para animar e acalmar os corações:

Ruas de Outono

Nas ruas de outono os meus passos vão ficar
E todo abandono que eu sentia vai passar
As folhas pelo chão que um dia o vento vai levar
Meus olhos só verão que tudo poderá mudar

Eu voltei por entre as flores da estrada
Pra dizer que sem você, não há mais nada
Quero ter você bem mais que perto
Com você eu sinto o céu aberto

Daria pra escrever um livro se eu fosse contar
Tudo que passei antes de te encontrar
Pego sua mão e peço pra me escutar
Seu olhar me diz que você quer me acompanhar

Eu voltei por entre as flores da estrada
Pra dizer que sem você, não há mais nada
Quero ter você bem mais que perto
Com você eu sinto o céu aberto

Quero ter você bem mais que perto
Com você eu sinto o céu aberto...
(Ana Carolina e Antônio Villeroy)